08 fevereiro 2007

Futebol é um bem de primeira necessidade

Todos sabemos as enormidades de fundos que o Governo Regional Madeirense canaliza para os clubes de futebol. O Jornal da Madeira publica hoje uma crónica de Gilberto Teixeira (parece-me que escreve regularmente no jornal) a estrabuchar contra aqueles que acham que estes fundos são um desperdício. Vale a pena ler (esclarecimento prévio Jacinto Serrão é o líder do PS Madeira que ousou criticar as transferências) mais uma crónica onde se confunde contra-argumentação com baixas críticas pessoais.

Jacinto Serrão acaba com o Marítimo e o Nacional
Como justificação para a sua miserabilíssima cultura turística, invoca que se fosse poder na Região, retirava o apoio que institucionalmente é atribuído aos clubes profissionais de futebol e canalizava esse dinheiro para acções de promoção da Madeira.

A Madeira é uma espécie de balão de ensaio do líder regional do Partido Socialista. Sozinho, vai fazendo o seu caminho, com sonhos e esperanças, transformando-se num universo de paixões assolapadas, e envolvido em projectos que lhe alimentam a vontade de querer chegar ao poder, ou seja, ser presidente do Governo Regional.
Não bastavam as argoladas dos últimos dias, para nos deleitarmos com a personagem em romaria à Bolsa de Turismo de Lisboa, para dizer que falta dinheiro à promoção da Madeira, e que, esse dinheiro, devia ser retirado ao futebol que não promove coisa nenhuma, e desviá-lo para acções promocionais.
Criticar é fácil, e Jacinto Serrão está sempre disposto a aceitar ser conduzido nestas investidas a terrenos que desconhece por completo. O turismo da Madeira, sendo um sector de fundamental importância para a economia da Região, até devia ser disciplina obrigatória da aprendizagem política daquele socialista.
Pelos vistos não é. Suspeitávamos que assim fosse porque ao longo dos anos, não lhe vimos propor nada nesta matéria. Não sabe patavina, o que é grave, para quem quer ser presidente de Governo duma Região que não vende outra coisa que não seja turismo.
Mas quando alguém lhe pergunta que projectos tem, em alternativa aos do Governo, balbucia coisas ininteligíveis, procura articular palavras no vazio do seu conhecimento e cai na armadilha. É uma nulidade completa, não servindo para nada a proximidade de dois Martins, o ilustre senhor Maximiano, e o ex-edil de Machico.
Como justificação para a sua miserabilíssima cultura turística, invoca que se fosse poder na Região, retirava o apoio que institucionalmente é atribuído aos clubes profissionais de futebol e canalizava esse dinheiro para acções de promoção da Madeira.
Quer isto dizer que Jacinto Serrão, líder actual dos socialistas da Madeira e homem de fraca habilidade política, incoerente e impreparado, duma assentada só, declara a morte dos principais clubes da Região, Marítimo e Nacional.
Isto é tão ridículo que vale a pena lembrar-lhe que em Outubro de 1863, nasceu a Federação Inglesa de Futebol, tida como a primeira a nível mundial. Lá pelo ano de 1875, Harry Hinton, Presidente Honorário do Marítimo, então um jovem de 18 anos, traz para a Madeira um cautchu e introduz a prática do futebol em Portugal, jogando e ensinando os madeirenses a jogar, no Largo da Achada, na Camacha.
Em 1910 com a criação da Associação de Futebol do Funchal, (hoje tem o nome Madeira), nascem os principais clubes de futebol da Região, Marítimo, Nacional e União. Como se vê, somos pioneiros do fabuloso espectáculo que é o futebol, cuja dimensão universal, qualquer leigo na matéria não devia pôr em causa, quanto mais um político que aspira um dia ser chefe do Governo Regional.
O que atormenta é a ignorância atrevida que leva um homem um século depois, a afirmar que mata os principais clubes da Região, porque não constituem referência para ninguém, nem fazem falta ao povo que reside aqui ou está espalhado por esse mundo além.
Como é que este homem quer resistir à História? O que faz correr um indivíduo, que tem poucos aliados, e muitos adversários internos, para ter espalhanços deste género, que são de fazer corar de vergonha quem tenha um palminho de cara e dois dedos de testa?
Sinceramente… há mediatizações que se recusam liminarmente, quando se tem princípios e se conhecem os limites da arrogância. Não sei quem lhe passou as dicas para falar sobre Turismo. Ouviu mal ou é de compreensão lenta.
Admitamos que o futebol deve seguir o seu caminho com profissionalismo e rigor de gestão. Concorde-se que o espectáculo futebolístico é o melhor que há no mundo, por todos os motivos e mais um: apaixona, embriaga, convida à radicalização.
Mas não se entre em terrenos perigosos, quando aquilo que sucede nesta terra com os apoios ao futebol, é duma enorme transparência, com discussão e aprovação no Parlamento Regional, onde se senta, de vez em quando, o próprio Jacinto Serrão.
O investimento que é feito não tem retorno e há tanta gente interessada em patrocinar determinados clubes? Acha o líder dos socialistas na Madeira que se deve tirar o apoio aos dois baluartes desportivos da Região.
Mesmo que tivesse razão – mas não tem – o dinheiro, devia ser canalizado para outras áreas que não a promoção da Madeira. Demagogias deste calibre merecem castigo severo. Serão os madeirenses dos dois clubes a dar-lhe essa resposta, mais aqueles que sendo poucos, são bons: os do União, cujo lugar na História do futebol madeirense é sagrado, intocável, porque brilhante.
Jacinto Serrão tem uma alma desconhecida nesta área. A instabilidade que revela, é irresponsável e suscita até, inquietação. A Madeira necessita de gente com carácter e ambição, mas exige competência e sagacidade dos homens e das mulheres que assumem funções públicas com muita ou pouca visibilidade.
Há que saber gerir uma carreira com humildade, coerência, sentimentalismo, devoção e sobretudo respeito pelos outros, sejam eles quem forem, estejam onde estiverem. A estima que devemos uns aos outros é para ser levada a sério. Quem usa de hipocrisia acaba sendo triturado pela máquina infernal dos partidos, quanto mais pela voz do povo.
Mas se o líder socialista quer ser o coveiro do Marítimo e do Nacional e por arrastamento dos sonhos e das paixões dos adeptos, simpatizantes e sócios das duas respeitáveis colectividades, cujo percurso é inapagável da memória de todos nós, que se atreva e dê o primeiro passo.
Vai ser giro, vai. Há coisa mais bonita que um Marítimo-Nacional, como o da passada segunda-feira ? Claro que não.

4 comentários:

Stran_ger disse...

Oi,

espero não te estar a incomodar. Vi o teu blog na net e como não consegui ver o teu mail resolvi deixar uma mensagem aqui. Estou de momento a desenvolver um blog (http://blogdotuga.blogspot.com) e gostava de te convidar a seres membro. A ideia é criar um espaço livre de debate sobre temas nacionais. Neste momento ando à procura de membros para desenvolver o site. Se estiveres interessada envia-me um mail para stran_ger69@hotmail.com que eu envio-te o convite.

Bem mais uma vez desculpa por escrever aqui no espaço dos comentários e obrigado pela atenção

Joao disse...

Quem construiu 3 NOVOS estadios para poder ter um campeonato em Portugal?

Joao disse...

ah, e pinto da costa eh nome desconhecido para vc?

Anónimo disse...

http://cfuniaomadeira.queroumforum.com/index.php

E viva o União da Madeira